Partidos de cinco vereadores de Anápolis estão ameaçados de extinção


||| Siglas não atingiram cláusula de barreira e por isso ficam sem dinheiro do fundo partidário e sem programa gratuito na televisão. Caminho é a incorporação e fusão das agremiações, mas resta saber quem quer seguir nesse novo projeto

MARCOS VIEIRA

Pelo menos cinco vereadores da Câmara Municipal de Anápolis vão precisar procurar um novo partido político. Isso porque as siglas em que eles estão filiados foram atingidas pela cláusula de desempenho, que começou a valer na eleição de 2018.

São eles: Fernando Paiva (PODE), João da Luz (PHS), Luzimar Silva (PMN), Pedro Mariano (PRP) e Teles Júnior (PMN).

PODE, PHS, PRP e PMN se juntam a outros dez partidos brasileiros que não conseguiram fazer o mínimo nas urnas no ano passado. Ou seja, não elegeram uma bancada de nove deputados federais em nove estados brasileiros, nem conquistaram 1,5% dos votos válidos distribuídos em um terço das unidades da federação, com no mínimo 1% em cada uma delas.

Com isso, essas siglas perdem o direito ao dinheiro do fundo partidário e também saem da lista daqueles que tem direito ao programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão. Sem verba e sem divulgação, a chance de sobreviver praticamente inexiste.

É o fundo partidário que garante as siglas. No ano passado foram R$ 888,7 milhões distribuídos entre os 35 partidos políticos existentes no Brasil. Além disso, teve ainda o Fundo Especial de Financiamento de Campanha, no valor de R$ 1,7 bilhão.

Para os partidos ameaçados de extinção, o caminho é a fusão ou incorporação. Há um processo ocorrendo entre o PODE e o PHS, que vem sido questionada por presidentes estaduais do PHS, mas que provavelmente deve acontecer. Com isso, caso aceitem, os vereadores Fernando Paiva e João da Luz passariam a compor a mesma bancada.

O PRP de Pedro Mariano também deve se unir ao Patriota. O vereador estuda ainda se permanece na agremiação. Enquanto isso, tem ouvido propostas de filiação de outras siglas.

Já o PMN de Teles Júnior e Luzimar Silva chegou a negociar fusão com PHS e PODE, mas acabou desistindo do projeto em janeiro deste ano.

Partidos que não atingiram a cláusula de barreira

PATRI PHS PCdoB PRP REDE PRTB PMN PTC PPL DC PMB PCB PSTU PCO

Negociações

PPL foi incorporado pelo PCdoB.

PRP foi incorporado pelo PATRI.

PODE deve incorporar o PHS.

A REDE até tentou uma fusão com o PPS, mas desistiu. Sua presidente, ex-senadora Marina Silva, disse que vai tentar sobreviver com um “fundo voluntário”.

Fernando Paiva (PODE), João da Luz (PHS), Luzimar Silva (PMN), Pedro Mariano (PRP) e Teles Júnior (PMN): partidos ameaçados de extinção pela cláusula de barreira

#cláusuladebarreira #anápolis #câmaramunicipal #partidos

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita dos responsáveis pelo Anápolis 360 graus. Editado por eLive Produções.

Estamos nas redes sociais

  • Facebook - círculo cinza
  • Twitter - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo