Acidente que matou estagiária Thalyta Santos será investigado


||| A Polícia Civil já instaurou inquérito para verificar as condições que provocaram a morte da estagiária Thalyta Santos, de 20 anos. Prefeito Roberto Naves emitiu nota nas redes sociais sobre a tragédia FERNANDA MORAIS

A Polícia Civil, através da Delegacia de Investigação de Crimes no Trânsito (DICT), já instaurou inquérito para verificar as condições que provocaram a morte da estagiária Thalyta Santos, de 20 anos.

Professora auxiliar da Escola Gente Miúda, a jovem sofreu um grave acidente de motocicleta, seguido de atropelamento, na noite de segunda-feira (15.abr), quando saiu do trabalho. A tragédia aconteceu nas proximidades da Avenida Santos Dumont, no Bairro Jundiaí, região central de Anápolis.

O titular da DICT, delegado Manoel Vanderic, disse que serão investigados dois agentes envolvidos no acidente. A motorista do carro que atropelou Thalyta e o agente público responsável pela manutenção da malha viária no local.

“Em todas as mortes no trânsito é necessário a elaboração de um inquérito policial para definir as causas e, ou culpados pelos acidentes de trânsito”, explicou o policial.

No caso da tragédia envolvendo Thalyta, a Polícia Civil contará com imagens de câmeras de segurança que, segundo o delegado, mostram com precisão o momento do acidente.

“Já tivemos acesso a esse material que é a maior prova, com detalhes, de como tudo aconteceu. Além disso, temos os depoimentos de testemunhas e, se necessário, podemos definir por uma reconstituição do acidente antes de finalizar o inquérito que será encaminhado e julgado pelo Poder Judiciário”, pontuou o delegado.

Acidente Thalyta Santos perdeu o controle da moto que conduzia após cair em um buraco cheio d’água nas proximidades da Avenida Santos Dumont, no Jundiaí. A jovem tinha acabado de sair do trabalho quando sofreu o acidente.

A professora auxiliar foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos e morreu logo após dar entrada no Hospital Estadual de Urgências Doutor Henrique Santillo (Huana).

Pelas redes sociais não faltaram críticas à falta de estrutura da malha viária da cidade. O prefeito Roberto Naves (PTB) foi questionado pelos internautas sobre a morosidade na recuperação das ruas esburacadas de Anápolis.

Nota Por meio de nota divulgada também pelas redes sociais, o chefe do Executivo classificou o acidente de Thalyta “como terrível”, se solidarizou com a família e afirmou que equipes da Prefeitura de Anápolis estão trabalhando para tapar os buracos que, ainda segundo Roberto Naves, surgem em grande quantidade devido ao período chuvoso.

“Em primeiro lugar, quero me solidarizar com a família, pedindo muito a Deus que conforte a todos. É uma situação extremamente lamentável, que ninguém deveria passar”, escreveu o prefeito.

“Quero dizer também que compreendo as críticas, e independente das causas que ainda estão sendo apuradas, não vou me furtar de falar sobre buracos nas ruas”, prosseguiu o mandatário.

“O fato é que estamos trabalhando muito para atender todas as demandas da cidade. O problema é que em tempos de chuvas intensas como estamos, é praticamente impossível que os buracos não apareçam do dia para a noite”, afirmou o prefeito.

Roberto Naves conclui: “Situações como estas devem ser tratadas com responsabilidade, e acima de tudo humanidade. Deus conforte o coração da família e amigos da professora Thalyta”.

Estagiária Thalyta Santos, em foto de rede social

#acidente #anápolis #thalytasanntos #investigação #delegadomanoelvanderic

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita dos responsáveis pelo Anápolis 360 graus. Editado por eLive Produções.

Estamos nas redes sociais

  • Facebook - círculo cinza
  • Twitter - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo