Manter índices de criminalidade baixos é um grande desafio, diz novo delegado regional


||| Há um mês na cidade, Pedro Garcia Caires também fala sobre estrutura encontrada na Polícia Civil anapolina e revela que pelo menos dez novos delegados devem ser direcionados para a Regional

FERNANDA MORAIS

Desde o dia 20 de março, a Polícia Civil de Anápolis é comandada pelo delegado Pedro Garcia Caires. Na corporação há 10 anos, ele veio de Goiânia e falou ao Anápolis 360° da sua experiência profissional. Segundo Caires, o seu principal desafio é manter os índices de criminalidade da região em baixa. O delegado geral explicou que recentemente a Polícia Civil goiana passou por uma reestruturação em seu organograma e a expectativa é que pelo menos dez novos delegados sejam destinados para Regional de Anápolis.

Qual impressão que o senhor já tem da segurança pública no município? A Polícia Civil de Anápolis estava muito bem administrada pela minha antecessora, doutora Aline Vilela. A regional de Anápolis, administrativamente, está bem organizada. Os índices de criminalidade de Anápolis e toda região veem diminuindo sistematicamente, e isso é comprovado não só pelos números apresentados pela própria Regional, mas também pelo Observatório de Segurança Pública. Então, em relação a isso, estamos tranquilos com a realidade que encontramos.

Quais os desafios que terá pela frente? A manutenção dessa taxa de criminalidade baixa é um grande desafio. A tendência é sempre aumentar, quando temos esse nível mais baixo. Tem a questão de roubos de cargas e tráfico de drogas que são crimes muito presentes na região, até pela localização da cidade. Temos que fomentar nossas delegacias a combater essa criminalidade.

Já teve tempo de conhecer a estrutura e o material humano da Polícia Civil em Anápolis? Hoje somos responsáveis por 12 cidades, incluindo Anápolis e os distritos dessas cidades. Venho conhecendo gradativamente a nossa equipe. Estou visitando as delegacias todas. Já estive em Nerópolis, no 1º Distrito Policial onde funciona a Central de Flagrantes de Anápolis, no 2º DP, no Grupo de Investigações de Homicídios e, dia após dia, a nossa meta é ir visitando todas essas delegacias.

O senhor vem de Goiânia? Sim. De Goiânia. Eu exercia a função de delegado adjunto da 1ª Delegacia Regional, onde fiquei por três anos e meio. No final de março fui convidado a assumir a Regional de Anápolis. Aceitei o desafio.

O organograma da Regional de Anápolis foi reestruturado? Sim. Com a posse do novo Governo do Estado. Tivemos uma reestruturação nas Regionais em Goiás e a criação de uma nova Regional na cidade de Trindade. Com isso, algumas cidades que pertenciam a nossa Regional, agora estão com Trindade – são os casos de Inhumas, Goianira, Nova Veneza e Santo Antônio. Agora, na última reestruturação, porque foram duas, a cidade de Petrolina saiu da cidade de Anápolis e passou a pertencer a Regional de Goianésia.

Mudou alguma coisa em relação ao efetivo? Em relação ao efetivo a perda foi proporcional. Em Nova Veneza e Santo Antônio não tinham efetivo da Polícia Civil, quem atendia esses municípios era a cidade de Nerópolis, que mantém os seus profissionais. Petrolina também terá seu efetivo mantido, mesmo mudando para Regional de Goianésia. Mas não tivemos prejuízo para a Polícia Civil de Anápolis.

Existe previsão de chegar novos delegados em Anápolis? Sim. O curso de formação dos delegados de Polícia Civil, o qual fui professor, terminou. A previsão de nomeação e posse desses 110 novos delegados deve acontecer até junho. Se tudo permanecer de acordo com o previsto, para Regional de Anápolis devem ser disponibilizados 10 delegados. Desses 10, nossa ideia é lotá-los nas delegacias sem titularidade em Anápolis e também em Abadiânia e Pirenópolis que estão sem delegados.

O tráfico de drogas ainda fomenta a criminalidade? Com certeza. O trafico de drogas fomenta hoje os roubos, homicídios e outros crimes conexos.

Como o senhor pretende trabalhar com a Polícia Militar? Ainda não me encontrei com comandante geral da PM aqui no município e nem com os comandantes dos batalhões, mas essas visitas já estão em minha agenda. Em Goiânia esse contato era bastante próximo com o Comando de Policiamento da Capital. Com frequência realizávamos operações em conjunto e estávamos sempre abertos para apoiar e atender as demandas da Polícia Militar, assim com a PM estava ao nosso lado em nossas ações. Acredito que em relação a isso teremos um bom caminho a seguir junto com a nossa coirmã Polícia Militar.

O que os anapolinos e população dos outros municípios que fazem parte da Regional podem esperar do senhor? Sou delegado há 10 anos. Minha atuação sempre foi focada em muito trabalho, dedicação, responsabilidade e honestidade. Isso que quero passar aos anapolinos e demais cidades. Estamos aqui para somar e melhorar a segurança pública da região.

Pedro Garcia Caires assumiu a Delegacia Regional de Anápolis no dia 20 de março (Reprodução)

#políciacivil #anápolis #pedrogarciacaires #delegadoregional #segurançapública