Ridoval Chiareloto quer fábrica da Caoa no Tocantins


||| Hoje secretário de Indústria e Comércio do Estado vizinho, o empresário de Anápolis se movimenta e oferece incentivos fiscais para tentar atrair a montadora de carros coreanos e chineses

FERNANDA MORAIS e MARCOS VIEIRA

Declaração recente dada por Ridoval Chiareloto ao Jornal Opção gerou uma dúvida no meio político goiano: será que aquele que ajudou Anápolis a ter uma montadora de veículo agora trabalha para que ela se mude para outro Estado?

Entenda a história.

Chiareloto é hoje secretário de Indústria e Comércio do Tocantins. Ele está lá, sobretudo, porque o governador Mauro Carlesse (DEM) sabe do seu potencial em atrair investimentos usando com habilidade uma ferramenta poderosa, os incentivos fiscais.

Na reportagem do Opção, Ridoval Chiareloto diz o seguinte: “Nós gostaríamos que Carlos Alberto [presidente da Caoa] instalasse sua unidade de produção de veículos chineses no Tocantins. Os incentivos fiscais, os mais adequados, nós temos”.

Os veículos chineses a que ele se refere são da marca Chery, que fechou contrato em 2018 com a Caoa e passou a produzi-los em uma fábrica em Jacareí (SP). Um detalhe faz com que a declaração de Ridoval Chiareloto preocupe os anapolinos.

Os SUVs da Chery estão sendo feitos em Anápolis. A planta do Daia, portanto, é responsável pelo Tiggo 5x e Tiggo 7. Se essas linhas forem embora para o Tocantins, como quer Chiareloto, empregos serão fechados em Anápolis.

A situação gera mais instabilidade por outro aspecto. Fortes rumores davam conta de que a produção dos veículos Hyundai na fábrica da Caoa em Anápolis poderia ir para outro lugar, pois houve um corte de incentivos fiscais para a indústria automobilística por parte do governo Ronaldo Caiado.

Quando Carlos Alberto de Oliveira Andrade começou a conversar com o governo de São Paulo, que lhe ofereceu a fábrica da Ford fechada em São Bernardo do Campo, os rumores ganharam ainda mais força. O empresário, ao que parece e dizem os jornais paulistas, parece que desistiu da ideia.

Antes de virar secretário no Tocantins, Chiareloto ocupou cargos de alto escalão no Governo de Goiás. De 2003 a 2008 ele foi secretário estadual de Indústria e Comércio na gestão de Marconi Perillo (PSDB). Mais recente, até novembro de 2018, era presidente da Agência Goiana de Regulação (AGR) no governo de José Eliton (PSDB).

Embora esteja atuando profissionalmente no Tocantins, Ridoval, natural de Getúlio Vargas (RS), é empresário em Anápolis desde 1973. Já foi titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. Também foi presidente por quatro mandatos da Associação Comercial e Industrial de Anápolis (Acia) e ainda presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Anápolis (Sincovan).

Enquanto isso, Caiado visita a montadora no Daia

Coincidência ou não, o governador Ronaldo Caiado (DEM) visitou a Caoa nesta quinta-feira (30.mai) e reafirmou a sua importância para Anápolis e para o setor produtivo goiano.

“É um orgulho para nós, como anapolinos, termos aqui aquilo que hoje é referência para todos nós, goianos, uma montadora que o seu projeto é expandir cada vez mais, é avançar, e com isso construir aquilo que desejamos: a indústria brasileira de automóveis. Ela nasceu em Anápolis e, indiscutivelmente, vai dar a Goiás condições de ser o berço da indústria nacional”, declarou o governador durante a visita.

A visita de Caiado na empresa foi acompanhada pelo presidente da empresa, Mauro Correia, e também pelo prefeito Roberto Naves (PTB).

Para o chefe do Executivo local, a visita de Caiado demonstra o interesse do Governo de Goiás pelo município. “Estamos muito felizes com a visita do governador. A Hyundai hoje em Anápolis é a maior geradora de empregos na região e o governador está aqui para ver o funcionamento da fábrica, para observar de perto a importância que ela tem não só para o município, mas para toda a região”.

#anápolis #caoa #chery #ridovalchiareloto #tocantins