Prefeito destaca mudanças na saúde durante prestação de contas aos vereadores


||| Sessão especial de apresentação das contas do 1º quadrimestre de 2019 apontou crescimento da receita e ultrapassagem no limite prudencial da folha de pagamento; secretário da Fazenda diz que é possível reenquadrar esse percentual

MARCOS VIEIRA

O prefeito Roberto Naves (PTB) destacou o trabalho da sua gestão na área da saúde, ao falar com os vereadores na manhã desta sexta-feira (31.mai), na sessão especial de prestação de contas do 1º quadrimestre de 2019.

“Apesar de termos muitos problemas, já conseguimos ser exemplo. A nossa saúde avança e avança bem”, iniciou o mandatário, que citou a extensão dos horários de atendimento nos postos de saúde como algo positivo nas mudanças recentes no setor.

Ele falou ainda sobre o Cais Progresso, hoje em reforma para se transformar em uma UPA. Segundo Roberto, o espaço estava insalubre e o fechamento para reforma era necessário há mais de dois anos.

O prefeito também falou sobre o convênio feito com a Maternidade Dr. Adalberto Pereira, que culminou na criação de um banco de leite no local. “As coisas começaram a mudar porque a gente pensa nas pessoas, e não só no discurso”.

Em sua fala Roberto Naves também parabenizou os vereadores pela implantação da emenda impositiva, que passou a existir na cidade a partir de uma mudança na Lei Orgânica. Com isso, cada vereador tem o direito de apresentar uma obra no orçamento municipal no valor de R$ 160 mil.

Ele elogiou a decisão da Mesa Diretora em construir um prédio para a Câmara Municipal em regime de parceria, e disse que a obra paralisada na Praça 31 de Julho é um problema que será resolvido de forma técnica.

“Assim como estamos resolvendo o problema do Estádio Jonas Duarte, cuja obra de ampliação foi licitada da seguinte forma, uma arquibancada lisa, sem degrau e sem local para sentar. É a mesma empresa que fez o projeto da Câmara”, destacou.

Números O Relatório de Gestão Fiscal da Prefeitura de Anápolis mostra crescimento na Receita Corrente Líquida, em comparação com os últimos quatro meses de 2018. O salto foi de R$ 328,2 milhões para R$ 343 milhões.

A receita conseguida com impostos também apresentou melhora. No 1º quadrimestre deste ano os tributos renderam R$ 127,2 milhões aos cofres públicos. No 3º quadrimestre de 2018, a arrecadação foi de R$ 90,3 milhões.

Em relação à dívida fundada, o déficit subiu de R$ 196,8 milhões para R$ 208,5 milhões entre um quadrimestre e outro. Foi inscrita a dívida de R$ 7,2 milhões relativa à contribuição patronal ao Issa, que foi parcelada no ano passado. Também houve o acréscimo de R$ 12,7 milhões devidos ao Consórcio GC Ambiental.

Por outro lado, a gestão pagou R$ 11,6 milhões da dívida fundada em quatro meses. Somente com precatórios foram pagos R$ 5,3 milhões. Projeção mostra que entre precatórios, restos a pagar e direitos trabalhistas, a Prefeitura de Anápolis pagará até o final do ano R$ 49,7 milhões. Em quatro anos esse montante chegará a R$ 194,5 milhões.

Foram aplicados 21,11% na saúde nos primeiros quatro meses do ano – o mínimo constitucional para a área é de 15%. Na educação foram aplicados 28,62% das receitas municipais, ultrapassando o mínimo de 25%.

A prefeitura utilizou 52,19% dos seus recursos com a folha de pagamento. O limite prudencial é de 51,3%. Já o limite máximo é de R$ 54%. Segundo o secretário Geraldo Lino, as despesas na área cresceram em R$ 20 milhões no período, devido ao reajuste salarial e pagamento de titulações e progressões. No entanto, a receita não acompanhou esse ritmo.

Segundo Lino, com o georreferenciamento, algo que irá fazer “justiça tributária aos anapolinos”, a receita aumentará, ajustando o gasto com pessoal até 31 de agosto. “Esperamos que nesse quadrimestre a economia nacional possa reagir, já que a cada crescimento de 1%, são R$ 15 milhões a mais na nossa receita”.

Prefeito Roberto Naves e vereadores na sessão especial de prestação de contas

#anápolis #câmaramunicipal #prefeituradeanápolis #prefeitorobertonaves #prestaçãodecontas