“O que a gente quer trazer para pauta são as atitudes dos representantes, não dos poderes”


||| Organizador da manifestação do dia 15 em Anápolis, ex-vereador Sargento Pereira Júnior diz que uma coisa é criticar o poder Legislativo e o Judiciário, outra coisa é falar dos membros dessas instituições

MARCOS VIEIRA

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) organizam manifestação para o próximo dia 15 de março. O evento já rendeu muita polêmica, pois há uma acusação de que a pauta principal seria o apoio ao fechamento do Congresso Nacional e do STF. O organizador do ato em Anápolis, ex-vereador Sargento Pereira Júnior, assessor do deputado federal Major Vitor Hugo (PSL), diz que o governo é democrático e o protesto no dia 15 é contra membros do Legislativo e do Judiciário que tentam impedir Bolsonaro de implantar a “nova política” no Brasil. Leia a seguir a entrevista.

Qual o objetivo de ir para as ruas no próximo dia 15? O objetivo dessa manifestação é dar o apoio incondicional ao presidente Bolsonaro. Na campanha todos nós fomos às ruas querendo uma nova política e ele está fazendo o trabalho, mas infelizmente por parte de alguns membros do Legislativo, e até do Judiciário, estão extrapolando as suas funções. Então estamos fazendo essa manifestação para que possamos mostrar que estamos apoiando o nosso presidente e relembrar que votamos nele porque queremos uma política nova. Então esse é nosso objetivo, mostrar que estamos com o presidente e que cada político assuma sua função. Pregamos a independência dos poderes, a gente não tem pauta nenhuma de possibilidade de fechamento do Congresso, fechamento de STF, isso não existe na manifestação. É realmente posicionar e falar que a cidade de Anápolis é Bolsonaro e que estamos aqui atentos aos nossos representantes para que possam votar pelos interesses da população.

Então a afirmação de que a manifestação prega o fechamento de instituições é algo infundado? Totalmente infundado. O governo é um governo democrático, já provou isso várias vezes. [Mas os parlamentares] já derrubaram muitos vetos, deixaram de votar Medidas Provisórias importantes. E em momento algum o presidente ou qualquer outro colega falou sobre legitimidade de cada segmento. Cada um tem sua importância. O que a gente quer trazer em pauta são as atitudes dos representantes, não dos poderes. Uma coisa é você criticar o poder, o Legislativo e o Judiciário, outra coisa é você falar dos membros que realmente não estão em consonância com o entendimento da maioria da população, que deu 57 milhões de votos ao nosso presidente e realmente quer uma nova política para esse país.

O senhor acredita que Anápolis abraçará esse movimento, já que deu uma votação expressiva para o presidente? Acredito e espero que a população saia às ruas para mostrar isso aí. Eu não queria que tivéssemos uma manifestação, vou ser bem sincero. Acredito que ninguém queria. Mas o único jeito de a gente ajudar o nosso país é indo para as ruas, mostrando que o presidente não está sozinho, que somos contra esse jogo de barganha, de articulação de cargos políticos e emendas, coisas que não interessam ao país. O nosso objetivo é falar que queremos a nova política, um trabalho sério para nossa população. E que todo recurso seja executado pelo Executivo, e não pelo Legislativo.

Local e horário do evento? Concentração às 9h na Praça Dom Emanuel, e às 10h30 o início. É importante que a população possa participar, venha de camisa verde e amarela para mostrar que somos brasileiros, somos patriotas, que a gente possa realmente fazer uma manifestação pacifica, apartidária, é importante dizer isso, não importa seu partido, se realmente concorda com essa nova forma de fazer política, com o governo Bolsonaro, venha participar conosco, vamos fazer uma grande manifestação, dos moldes que fizemos na época da eleição. Todos nós sabíamos que não seria fácil, mas com a união da população deixamos o recado, Brasil acima de tudo, Deus acima de todos.

#anápolis #notícias #política #manifestação #dia15 #jairbolsonaro #stf #câmaradosdeputados