Alexandre Baldy é libertado por ordem de Gilmar Mendes, do STF

Político goiano não chegou a ficar detido nem 48 horas na carceragem da Polícia Federal



DA REDAÇÃO


Alexandre Baldy não chegou a completar nem 48 horas na prisão. Na noite desta sexta-feira (7.ago), o ministro Gilmar Mendes, do STF, mandou soltar o ex-deputado federal goiano, atualmente secretário dos Transportes Metropolitanos de São Paulo.


Baldy foi preso na manhã de quinta-feira (6.ago) pela Polícia Federal, na Operação Dardanários, acusado de participar de um esquema de facilitação para uma organização social que atua na saúde pública, em troca de propina.


Os advogados de Baldy, Pierpaolo Cruz Bottini e Igor Sant'Anna Tamasauskas, alegam que o juiz Marcelo Bretas, juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, ao decretar a prisão do político descumpriu um posicionamento do STF, da inconstitucionalidade da condução coercitiva.


A defesa de Baldy alegou que a ordem de Bretas trata-se de condução coercitiva travestida de prisão temporária. Os advogados disseram também que o juiz determinou a prisão sem fundamentação legal e em substituição à condução coercitiva.


Ainda de acordo com Bottini e Tamasauskas, na inicial cujo pedido foi atendido por Gilmar Mendes, os fatos investigados não são atuais, o que não justificaria a prisão.

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita dos responsáveis pelo Anápolis 360 graus. Editado por eLive Produções.

Estamos nas redes sociais

  • Facebook - círculo cinza
  • Twitter - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo