“Bandido não dita ordem no meu Estado”, diz Caiado após motim em penitenciária

Governador de Goiás deu declarações duras após a polícia controlar motim na Penitenciária Odenir Guimarães, em Aparecida de Goiânia



DA REDAÇÃO


Após equipes policiais controlarem motim na Penitenciária Odenir Guimarães (POG), o governador Ronaldo Caiado (DEM) afirmou que “bandido não dita ordem no meu Estado”.


Segundo ele, o trabalho realizado na área da segurança pública incomoda aqueles que tinham verdadeiras fortalezas nas prisões. “É lógico que eles não terão esse conforto”, disse Caiado.


O governador continuou: “Vamos deixar claro que bandido não vai crescer em Goiás. Todos estão submetidos às normas da lei”. “Não existe ninguém que pode afrontar o Estado e muito menos tentar achar que não existem forças de segurança capazes de dar aquilo que a sociedade deseja: o respeito ao cidadão e à vida”, completou.


Questionado se poderia trocar o comando da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), uma das reivindicações dos detentos, o governador respondeu: “Goiás não vai aceitar esse tipo de pressão que existiu durante 20 anos. Aqui tem segurança pública e tem ordem. Não somos coniventes com esse nível de bandalheira”.


“Vamos deixar claro que quem governa o Estado sou eu, governador e comandante em chefe da polícia. Já foi a época em que Goiás era comandado por quadrilhas. Agora, é governado por quem tem credibilidade moral para tomar decisões”, afirmou o governador.


O motim ocorreu um dia após a morte de um agente prisional e da mulher dele na entrada da POG. As forças de segurança já identificaram suspeitos do crime.

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita dos responsáveis pelo Anápolis 360 graus. Editado por eLive Produções.

Estamos nas redes sociais

  • Facebook - círculo cinza
  • Twitter - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo