Conselho de Educação sugere aulas à distância até o final do ano

Instituições de ensino devem se organizar para manutenção do ensino online até o dia 19 de dezembro



FERNANDA MORAIS


O Conselho Estadual de Educação (CEE) publicou uma nova resolução autorizando as instituições de ensino a manterem o cronograma de aulas à distância até o dia 19 de dezembro. A medida vale para escolas públicas e particulares do ensino fundamental e médio, e ainda para a educação profissional também de nível técnico e médio.


A mesma medida, mas para o nível superior, já tinha sido autorizada em outra resolução do CEE. Já o ensino infantil não obrigatório para crianças de 0 a 6 anos fica a critério de cada município. As aulas presenciais em Goiás estão suspensas desde o dia 16 de março.


O presidente do CEE, Flávio Castro, avalia que a nova resolução vai possibilitar a organização, o planejamento pedagógico e a aplicação de avaliações por parte das instituições de ensino até o final do ano. Assim, as escolas só podem voltar com as aulas presenciais, caso tenham autorização da Secretaria Estadual de Saúde.


Até o momento, exatamente por conta de um decreto estadual, as aulas presenciais seguem suspensas até o dia 31 de agosto. Apesar da sugestão do Conselho Estadual de Educação, a decisão sobre o retorno presencial fica a cargo do Comitê de Operações Especiais da Secretaria Estadual de Saúde. Até o final do mês deve ser divulgada uma nova deliberação sobre o assunto, avaliando a situação do cenário goiano em relação à pandemia do novo coronavírus.


Anápolis

Em Anápolis o ensino online das escolas municipais foi retomado no dia 3 de agosto. De acordo com um levantamento feito pela gestão das unidades escolares, pelo menos 83% dos pais avaliaram a metodologia de ensino aplicada no ensino à distância como boa ou ótima.


As categorias atendidas pela rede municipal anapolina são a educação infantil, ensino fundamental, EJA (Educação de Jovens e Adultos) e educação especial – para pessoas com deficiência ou dificuldade de aprendizagem, todas contempladas pelo ensino virtual. Ainda, sob o mesmo modelo adotado no primeiro semestre, para aqueles que não contam com recursos tecnológicos, atividades impressas são disponibilizadas nas unidades de ensino e, para a zona rural, os ônibus escolares fazem a entrega regular dos conteúdos impressos.