Coronavírus: novo decreto municipal endurece medidas em Anápolis

Prefeito Roberto Naves anuncia que matriz de risco para Covid-19 passa de leve para moderada, alterando funcionamento do comércio



MARCOS VIEIRA


A partir desta quinta-feira (2.jul), Anápolis passa para o nível moderado na matriz de risco do coronavírus. O prefeito Roberto Naves (PP) anunciou mudanças no decreto das atividades econômicas. Veja a seguir:


Fechamento de todas as praças, parques e espaços esportivos a partir da próxima sexta-feira (3.jul).


Bares e restaurantes funcionarão apenas para entregas (delivery).


Feiras livres vão seguir um rodízio semanal para funcionamento.


Indústrias vão funcionar no modo 12x36 horas ou em dias alternados.


O comércio no Centro e nas principais avenidas funciona em formato de rodízio por períodos: algumas lojas abrem de manhã, outras à tarde.


Suspensão das atividades comerciais aos finais de semana, das 22h de sexta-feira até 5h de segunda-feira, com exceção de serviços essenciais, como farmácias e supermercados.


De segunda à sexta-feira, as atividades comerciais fecham a partir das 22h, com retorno às 5h. Só urgência e emergência na saúde e farmácias ficam abertas.


Será aplicada multa de R$ 5 mil na matrícula do imóvel que infringir as regras. Ou seja, festa em casa ou mesmo bar aberto rende multa que ficará vinculada ao imóvel e deverá ser paga junto com o IPTU.


Consultas

Roberto Naves informou em vídeo que consultou especialistas da Fiocruz e da Universidade Federal de Goiás (UFG), além da médica Ludhmila Hajjar e de representantes de setores organizados, para tomar as medidas.


“Também avaliamos a realidade do nosso município, onde muitas pessoas não têm respeitado as normas e decretos”, disse o prefeito, citando 11 pessoas com Covid-19 internadas na UTI, o que dá uma taxa de ocupação de 33%, provocando a mudança na matriz de risco.


“Isso faz com que tomemos medidas mais duras, levando em consideração a preservação da vida e, se possível, deixar que cada um trabalhe e possa ganhar seu pão de cada dia”, afirmou Roberto.


As medidas anunciadas para Anápolis são diferentes do decreto do governador Ronaldo Caiado (DEM), que propôs uma quarentena alternada – 14 dias com os estabelecimentos fechados e 14 dias abertos.