Democratas de Anápolis faz moção de apoio a Carlos César Toledo

Atualizado: 31 de Jul de 2020

Agremiação decidiu hipotecar apoio ao presidente licenciado, que é investigado pela Polícia Civil na Operação Negociatas



MARCOS VIEIRA


Duas semanas após a deflagração da Operação Negociatas, a executiva do Democratas (DEM) de Anápolis aprovou uma moção de apoio ao presidente licenciado Carlos César Toledo, o Cacai.


Carlos César pediu licença do cargo por 90 dias ao ser um dos alvos da investigação da Polícia Civil, com prisão temporária ocorrida em 15 de julho. A apuração acontece na Codego, onde ele era diretor – as denúncias são de crimes contra a administração pública, corrupção, fraude em licitação e lavagem de dinheiro.


Até hoje não foram divulgados detalhes sobre o caso, pois o processo é sigiloso. Um dos membros da executiva do DEM anapolino, Joaquim Amarildo, disse nesta quarta-feira (29.jul) que quem tem acesso aos autos conclui que se trata de uma denúncia muito frágil contra Cacai.


“Entendemos que ao final desse processo ele não será nem indiciado. Mas caso seja, será por unanimidade inocentado”, disse Amarildo à Rádio Manchester.


Nesse sentido, prosseguiu Joaquim Amarildo, o partido precisa ser o “elo forte e esteio nos momentos difíceis daqueles que deram a vida” à agremiação. “E Carlos César deu a vida ao partido”, completou.


Amarildo disse que esteve com Cacai, que segundo ele está sendo orientado por um dos melhores advogados de Goiás. “Não tem que condenar antes de julgamento. Até o trânsito em julgado, todo mundo é considerado inocente”, disse.


O membro da executiva comentou ainda que caberá a Cacai analisar seu retorno ao comando da sigla, daqui a 90 dias. Atualmente o DEM municipal é presidido por Marlon Caiado.