Eleições 2020 e coronavírus: TSE autoriza convenções virtuais

Atualizado: 9 de Jun de 2020

TSE diz que evento que define candidatos a prefeito, vice e vereadores pode ocorrer via internet, em plataforma a ser escolhida pela sigla



DA REDAÇÃO


A primeira grande mudança que a pandemia de coronavírus causa nas eleições 2020 foi anunciada recentemente: as convenções partidárias para escolha dos candidatos poderão ser feitas por meio virtual.


Com isso, saem de cenas os salões de eventos lotados de militantes, que acabavam sendo uma demonstração de força das candidaturas, e entram os aplicativos de reuniões, tão comuns em época de Covid-19.


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou a possibilidade da convenção virtual ao responder consulta formulada pelo deputado federal Hiram Manuel (PP-RR) sobre o tema.


As convenções partidárias deverão ser realizadas entre o dia 20 de julho e 5 de agosto. Cada sigla usará a ferramenta tecnológica que considerar mais adequada.


O relator, ministro Luis Felipe Salomão, disse que negar a adoção do formato virtual equivaleria a ignorar a realidade enfrentada no combate à Covid-19 e, diante do calendário eleitoral, poderia inviabilizar etapa imprescindível para “concretização de eleições democráticas e transparentes”.


Será criado um grupo de trabalho no TSE para estudar e definir regras com ênfase especial nas convenções virtuais. Entre elas, como se dará o registro do resultado das convenções, em que local tais informações ficarão armazenadas, entre outros detalhes.