Entenda o passo a passo da regulação dos leitos para Covid-19 em Anápolis

Administração municipal mantém 50 leitos de UTI e 80 leitos de enfermaria que só atendem moradores da cidade



DA REDAÇÃO


Embora a possibilidade de contaminação pelo coronavírus seja alta em Anápolis, a rede municipal conseguiu criar um sistema de atendimento cujo risco de colapso tem se mantido baixo.


Segundo painel da Secretaria Municipal de Saúde, na tarde desta quarta-feira (2.set), 26 dos 50 leitos de UTI para Covid-19 estavam ocupados por moradores de Anápolis. Das 80 enfermarias, 44 tinham pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).


Dos 50 leitos de UTI mantidos pela gestão municipal, 12 ficam em Goiânia. A regulação desses leitos específicos para o coronavírus atende a uma sistemática própria. O primeiro passo em caso de sintomas, é entrar no portal da Prefeitura de Anápolis na internet, clicar no banner Zap da Prefeitura e, em seguida, acessar o grupo de informações do coronavírus.


O atendente irá encaminhar a pessoa para uma das cinco unidades municipais de referência para Covid-19, que ficam no São José, Vila União, Bairro de Lourdes, Recanto do Sol e Parque Iracema.


A administração municipal tem deixado claro que os leitos são exclusivos para moradores de Anápolis. Portanto, para ser atendido, basta apresentar o cartão do SUS. Caso não tenha o documento ou more em Anápolis, mas seu cartão é de outro município, é preciso comprovante de endereço para endossar sua moradia em Anápolis.


Para moradores de outros municípios ou que não comprovem moradia em Anápolis, a entrada no sistema ocorre via UPA da Vila Esperança. Nessa situação, a responsabilidade de regulação desse paciente com sintomas da Covid-19 é somente da rede estadual de saúde. Por isso, eles podem ser transferidos para hospitais em outras cidades, como Águas Lindas, por exemplo, pois dependem de vaga disponível.


Já pacientes que deram entrada na rede particular e, por algum motivo – por falta de leito ou pela impossibilidade de continuar arcando com as despesas – precisam ir para a rede pública, é necessário que a família avise a administração do hospital, para que ela possa dar entrada com um pedido de vaga na regulação municipal.


A Secretaria de Saúde explica ainda que em caso de necessidade de leitos de UTI ou enfermaria para outros tipos de doença, a autonomia da regulação é a rede estadual de saúde pública.

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita dos responsáveis pelo Anápolis 360 graus. Editado por eLive Produções.

Estamos nas redes sociais

  • Facebook - círculo cinza
  • Twitter - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo