Fiscalização eletrônica de Anápolis começa a multar infratores

Expectativa é que os aparelhos ajudem a reduzir o número de mortes no trânsito, cuja média é de uma vítima fatal a cada três dias



DA REDAÇÃO


As barreiras eletrônicas de Anápolis passaram a multar os motoristas que cometem infrações a partir desta quinta-feira (4.fev). Os equipamentos já estavam ligados, atuando apenas de forma educativa.


A Companhia Municipal de Trânsito, Transportes e Serviços Urbanos (CMTT), tem feito panfletagem nas ruas desde o dia 21 de janeiro, avisando do início do funcionamento para valer dos equipamentos de fiscalização.


A expectativa é que os aparelhos ajudem a reduzir o número de mortes no trânsito, que segundo a administração municipal tem uma média de uma morte a cada três dias.


De acordo com estudos do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit), a fiscalização eletrônica é responsável pela redução de acidentes em até 70%.


O diretor de Trânsito, Transporte e Educação, Igor Lino, informa que a cidade tem 370 faixas de monitoramento. Para chegar a esses dados a prefeitura fez estudos técnicos e avaliou a melhor medida para diminuir a violência no trânsito.


Os equipamentos também ajudarão as autoridades policiais no combate à criminalidade, uma vez que os radares contam com sistema de identificação de placas e podem servir também como câmeras de videomonitoramento para solucionar eventuais crimes de trânsito, roubos, sequestros, dentre outros.



Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita dos responsáveis pelo Anápolis 360 graus. Editado por eLive Produções.

Estamos nas redes sociais

  • Facebook - círculo cinza
  • Twitter - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo