Gomide fala da desistência, candidatos do PT e seu papel na campanha

Deputado estadual revela que nome do Partido dos Trabalhadores para a disputa em Anápolis será definido em reunião no dia 5 de julho



FERNANDA MORAIS


Logo após anunciar através de carta aberta a sua desistência de disputar o cargo de prefeito de Anápolis, na noite desta quarta-feira (24.jun), o deputado estadual Antônio Gomide (PT) falou com o Anápolis 360° sobre o futuro do seu partido nas eleições de 2020.


Gomide disse que o PT lança candidato e deu vários nomes que podem entrar na disputa. Também falou qual será seu papel na campanha. Leia a seguir.


A partir da desistência do senhor, quais os próximos passos do PT de Anápolis?

A minha desistência é uma orientação médica. Na verdade eu adoraria ser candidato a prefeito. Preparei-me para ser candidato a prefeito, para retornar à Prefeitura de Anápolis, mas a cirurgia que fiz em novembro [de 2019] está me impedindo. Fiz uma nova cirurgia em abril [de 2020] e, por orientação médica, isso me impede e eu não vou confrontar com essas orientações. Quero dar um tempo para que eu possa me recuperar como me foi solicitado pela equipe médica que fez a minha cirurgia. A partir de agora o PT escolhe o seu candidato, que vai ser definido em um encontro no dia 5 de julho. Isso será definitivo entre os filiados. O candidato que sair desse encontro será o referendado pelo PT.


Professora Geli, Rubens Otoni e Ceser Donizete são nomes que podem ser candidatos?

Professora Geli, o vereador Luiz Lacerda, o deputado Rubens Otoni, o Ceser podem ser candidatos sim. Isso está sendo analisado nesse tempo agora até o dia 5 de julho, quando os nomes serão colocados e discutidos. Vamos tentar trabalhar uma ideia em consenso para que o PT possa apresentar um desses nomes para a disputa de prefeito em Anápolis.


O PT pode deixar de lançar candidato a prefeito e optar por apoiar algum outro partido?

O PT não vai deixar de lançar candidato. O PT tem nomes e tem trabalho e militância muito forte na cidade. Então o PT vai ter candidato a prefeito de Anápolis. Não tem hipótese em que o partido não terá candidato a prefeito. O PT buscará apoio, mas terá candidato próprio, já que tem um legado, um trabalho feito na cidade, tem uma história, pois a população tem uma lembrança muito grande da nossa gestão. Então vamos aproveitar isso para fazer a campanha do nosso candidato a prefeito.


Qual será o papel do senhor na campanha?

Eu estarei seguindo recomendações médicas para restabelecer minha saúde. O médico pediu para que eu pudesse ficar seis meses aguardando para o restabelecimento da cirurgia que eu fiz, que é uma neurorrafia, que é uma reenervação do lado direito da minha face, que sofreu uma paralisia facial. Então o meu papel nesse momento será de total apoio àquele que o Partido dos Trabalhadores escolher como nome, contribuindo com sugestões, acompanhar os trabalhos e, obviamente, fazer da campanha um instrumento para podermos voltar à prefeitura e devolver a geração de emprego para a cidade, devolver o processo econômico que precisamos restabelecer, priorizar a educação e saúde, valorizar o servidor, como sempre fizemos e acho que isso é o debate. Então quero apoiar nosso candidato, que será escolhido no encontro do dia 5.