“Se nada for feito, a rede vai colapsar”, diz prefeito de Anápolis

Atualizado: Mai 12

Roberto Naves explica motivos que levaram equipe da Secretaria de Saúde a endurecer medidas contra a Covid-19



DA REDAÇÃO


Antes da publicação de decreto excepcional que impõe diversas restrições em Anápolis, nesta quinta-feira (4.mar), o prefeito Roberto Naves (PP) concedeu entrevista coletiva para justificar a necessidade da medida.


“Os médicos entendem que se nada for feito agora, dentro de poucos dias a nossa rede vai colapsar e nós teríamos que ver pessoas perderem suas vidas sem receberem o tratamento adequado. São 10 dias de esforços coletivos para salvar centenas de vidas”, disse o prefeito.


“Para cada 10 pacientes entubados, seis têm perdido a vida”, disse Roberto Naves ao avaliar que os leitos de UTI têm sido um paliativo frente às complicações da doença. “O melhor jeito de poupar vidas é impedir a propagação do vírus”, completou o prefeito.


Durante a vigência do decreto excepcional, fica suspensa a matriz de risco que o município vinha adotando para analisar a situação de Anápolis em relação ao coronavírus. “Neste momento nós nos vemos obrigados a suspender as atividades na nossa cidade. Foi a forma menos danosa para a economia e que poderia salvar o maior número de vidas, que é nosso objetivo final. Estamos falando de cinco dias úteis. Em qualquer cenário, no dia 15 de março esse decreto deixa de valer”, explicou Roberto.


Leitos

Na última semana, foi registrado crescimento de 35% na taxa de ocupação de leitos de UTI e de 58% de enfermaria. No período, houve aumento de 325% das internações de pessoas abaixo dos 60 anos de idade.


“Pacientes mais jovens estão tendo quadro de agravamento”, disse Roberto Naves. A atual oferta de leitos exclusivos para moradores de Anápolis é de 60 em UTI e 87 em enfermaria.


Vacinas

No dia 18 de janeiro, Anápolis foi primeiro município goiano a iniciar a vacinação contra a Covid-19. De lá para cá, mais de 20 mil doses já foram aplicadas em grupos prioritários.


O prefeito anunciou que na próxima semana deve iniciar a imunização das pessoas entre 70 e 74 anos. O cadastro é feito pelo Zap da Vacina e o acesso é feito pelo site da Prefeitura.


Os pontos fixos de vacinação, que funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, são: unidades de saúde Filostro Machado, JK e Anexo Itamaraty, Ginásio Internacional Newton de Faria, CMTT, Ginásio da Unievangélica (entrada pela Avenida Armazém Goiás) e Banco de Leite.


Referências

Anápolis tem cinco Unidades de Referência em Coronavírus (URCs): Parque Iracema, Bairro de Lourdes, São José, Vila União e Recanto do Sol. Todas funcionam das 7h às 22h, exceto a unidade do Parque Iracema, com atendimento 24 horas.


(Foto: Bruno Velasco)